Do PT ao PL, Campo Grande soma uma dezena nomes dispostos a concorrer a prefeitura

Sherse Faxyria
By Sherse Faxyria

Eleições municipais ocorrem em 2024 e articulações começaram

Do PT ao PL, Campo Grande soma uma dezena de nomes dispostos a concorrer a prefeitura nas eleições de 2024. O cenário, por enquanto, é de bastidores e mostra haver interessados em pré-candidaturas de diversas alas. Entre petistas, conservadores e centro, ainda há a prefeita Adriane Lopes (Patriota) que irá mudar de partido para concorrer a reeleição.
Reeleição

A prefeita Adriane Lopes, que apoiou o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), na eleição passada conversa com o PL de MS e demais partidos conservadores. Ela não deve migrar de legenda, pois o Patriota está em processo de tramitação de fusão com o PTB [partido do preso Roberto Jefferson e Delcídio do Amaral em MS].

MDB

O MDB ainda não firmou se lançará nome próprio ou apoiará algum outro partido, porém, o ex-governador André Puccinelli ainda é uma chama de esperança na legenda. Puccinelli, perdeu no 1° turno para governador em 2022 e vem dizendo por aí que “é candidato a alguma coisa”. Na eleição de 2020, quem enfrentou foi o deputado estadual Marcio Fernandes. Ele não é descartado, já que o partido padece de novas lideranças.

PDT

Pelo PDT, o deputado estadual Lucas de Lima, confirma o interesse em concorrer ao Executivo. “Sou o pré-candidato do PDT para a Prefeitura de Campo Grande”.

PRTB

O PRTB conta com o presidente regional do partido, Capitão Contar, que apesar da derrota no segundo turno das eleições de 2022 para governador, é um nome forte entre os conservadores. Ele está disposto a concorrer e buscará o apoio do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

Outro nome do partido, que estaria disposto a enfrentar o pleito é o do deputado estadual [cassado e aguardando decisão final do TSE], Rafael Tavares.

PL

O PL de Bolsonaro pode surgir vários interessados, que já estão na legenda. A sigla tem o deputado federal Marcos Pollon, deputado estadual Coronel David e o estadual João Henrique Catan [concorreu à prefeitura em 2020] entre os pré-candidatos.

“Certamente que o nome do PL para a disputa da prefeitura sairá da conjugação apoio popular somado ao apoio do Bolsonaro”, disse David quando indagado.

União Brasil

O União Brasil terá de resolver suas brigas e disputas internas entre grupos da ex-deputada Rose Modesto e da senadora Soraya Thronicke para dar início as articulações. O partido deve lançar candidatura própria, pois tem grande recurso do fundo partidário.

PT

O PT vai entrar na disputa com nome próprio. A eleição d presidente Luiz Inácio Lula a Silva fortaleceu o partido e uma das lideranças, o deputado Vander Loubet, chegou a comentar sobre a probabilidade de o partido indicar a deputada Camila Jara. A advogada Gisele Marques, também pode concorrer após experiência no governo em 2022.

PSDB

Pelo PSDB, o deputado federal Beto Pereira (PSDB), é um dos favoritos do ninho tucano a entrar na disputa em Campo Grande. “Estou à disposição e se houver aval do grupo entro na disputa”, disse ele.

O presidente do partido, ex-governador Reinaldo Azambuja, teve o nome apontado na última pesquisa do Instituto Ranking, apesar de não esboçar nenhum interesse. Outro tucano que teve o nome citado na pesquisa foi do diretor-presidente da Agems Carlos Alberto de Assis.

PSD

Após encolhimento nas eleições de 2022, o PSD não conta mais com o nome do ex-prefeito Marquinhos Trad, pois ele não pode concorre após renúncia da Prefeitura de Campo Grande. Há nomes como o do Juiz Odilon e vereador Coringa.

PSOL/ Rede

O PSOL pode lançar o nome do empresário Adonis Marcos de Souza. O militante disputou eleição em 2022 para o cargo de governador e levou temas importantes ao debate, como enxugamento da máquina pública, questões fundiárias e indígenas em Mato Grosso do Sul e desigualdade social.

PSB

O PSB conta com o presidente da Câmara, Carlos Augusto Borges, o Carlão, que indica participação do partido em chapa majoritária.

Share This Article